Se for para rir, que seja comigo

Há sempre um tema recorrente em discussões em grupos de movimentos sociais: qual o limite da piada? Muitos foram os casos de manifestações inflamadas nas redes sociais contra comediantes que por descuido ou não deslizaram no tom de suas apresentações. Algumas pessoas acreditam no humor desmedido, livre de censuras e moralidades. Outros, defendem a ideia…

Ler mais

O capacitismo nosso de cada dia nos dói hoje

O texto de hoje é da Manoella Back (lembram dela?) onde expõe uma experiência bem desagradável, mas que trouxe reflexões interessantes para ela. Vamos conferir? O que eu mando aqui no Disbuga hoje é um certo sustinho que eu tive exatamente há um ano. Dores. Algumas dores. Sempre defendi que toda pessoa com deficiência carrega…

Ler mais

Quando o silêncio grita

Vocês devem achar que estou preguiçosa ultimamente, né? Publicando textos de coleguinhas e deixando de produzir os meus. Mas garanto que esta pausa tem a melhor das intenções. Afinal, como deixar de publicar materiais ora elaborados especialmente para o blog ora tão sensíveis que fica impossível evitar a publicação? Por esse motivo, guardei minhas ideias…

Ler mais

De novo? Sério isso?

Se você tem algum tipo de deficiência física onde necessita de acessibilidade nos espaços, certamente já fez esta pergunta ao encontrar algum lugar sem adaptações necessárias para te receber. Talvez tenha dito algo semelhante enquanto navegava nas redes sociais e se deparou com uma postagem ou vídeo de alguém com deficiência comentando sobre suas dificuldades…

Ler mais

O mundo freak de Diane

Nunca escondi meu interesse pelo estudo das imagens, principalmente àquelas que representam pessoas com deficiência. Muito além da minha formação e preferência por design, há um desejo de compreender quais são as intenções e mensagens por trás de tantas fotografias que vemos por aí. A máxima “uma imagem fala mais do que mil palavras” nunca…

Ler mais

Qual é a voz do seu corpo?

Se me perguntarem uma das palavras para representar a tendência visual da nossa época, sem dúvida responderia “corpo” ou “auto imagem”. Acredito que não houve em outro momento um sentimento de controle do corpo, ou body control, como a atual. Somos donos da nossa identidade e a usamos para nos reafirmar. A selfie na frente…

Ler mais

O que podemos fazer?

Certo dia já não conseguia dormir direito. No começo imaginei ser cansaço demais, excesso de preocupações do trabalho refletindo no meu organismo. A noite foi trocada pelo dia e as tarefas não eram executadas com a mesma intensidade. Neste ponto meu alerta ligou, como uma ficha caindo admiti o meu problema: era ansiedade. Lá vamos…

Ler mais

Será que sou eu?

Começa com uma ideia nova, um frescor de inspiração depois de um longo período sem produzir nada. A novidade nos revigora, dá ânimo para traçar novos planos, sonhar com possibilidades de mudar algo em nossas vidas. Ainda que seja pouca coisa como testar uma nova receita de molho ou mais significativo como mudar de emprego,…

Ler mais

Deficiente, sexualidade e solidão: em busca do empoderamento

* Por Jhonatan Zati Nós somos o país que mais mata pessoas LGBT no mundo. Segundo dados levantados de acordo com o GGB, Grupo Gay da Bahia, nossas estatísticas do ano de 2016 superam as do Oriente Médio e da África, em regiões em que a pena de morte por ser parte dessa parcela da população…

Ler mais

A diferença entre ser amado e ser “útil”

O texto abaixo foi escrito pelo Pe. Fábio de Melo sobre envelhecimento, mas pode facilmente ser compreendido e interpretado também para nossa realidade de pessoa com deficiência. Portanto, boa leitura. Por Pe. Fábio de Melo “Você ter utilidade pra alguém é uma coisa muito cansativa. Tá certo, realiza. Humanamente falando é interessante você saber fazer as…

Ler mais