Se for para rir, que seja comigo

Há sempre um tema recorrente em discussões em grupos de movimentos sociais: qual o limite da piada? Muitos foram os casos de manifestações inflamadas nas redes sociais contra comediantes que por descuido ou não deslizaram no tom de suas apresentações. Algumas pessoas acreditam no humor desmedido, livre de censuras e moralidades. Outros, defendem a ideia…

Ler mais

Qual é a voz do seu corpo?

Se me perguntarem uma das palavras para representar a tendência visual da nossa época, sem dúvida responderia “corpo” ou “auto imagem”. Acredito que não houve em outro momento um sentimento de controle do corpo, ou body control, como a atual. Somos donos da nossa identidade e a usamos para nos reafirmar. A selfie na frente…

Ler mais

Nós também sangramos

Muito se fala sobre a sexualidade das pessoas com deficiência, sempre ressaltando as dificuldades em encontrar parceiros ou em alternativas para tornar o ato sexual mais viável e prazeroso. Nesse campo, para as mulheres com deficiência o assunto se restringe aos seus corpos e como lidar com a normatização social sem perder sua autoestima. Entretanto, sexualidade…

Ler mais

O que a Berenice não disse

Mês passado fui convidada a participar de um bate papo em uma agência de publicidade aqui em Belo Horizonte. A proposta era falar sobre a campanha da Vogue com a Cléo Pires e discutir a importância da representatividade nas propagandas. Expus a complexidade no processo de identidade das mulheres com deficiência em uma sociedade padronizada como a…

Ler mais

A Yura veio até mim após ver meu material com Disbuga. Lembro da nossa primeira conversa, ela ainda estava iniciando sua descoberta como mulher com deficiência e tinha muitas perguntas. Foi uma troca interessante que mais tarde resultou em um lindo desabrochar. Hoje aquela menina tímida, deu lugar a uma jovem super criativa e consciente…

Ler mais

Ela não anda, ela arrasa: Fernanda Härter

A palavra do “Ela não anda, ela arrasa” de hoje vai para uma mulher que admiro muito pela delicadeza de sua personalidade e firmeza em suas vontades. Fernanda é só simpatia, consegue conquistar todo mundo com o jeitinho dela, porém quando o assunto é feminismo e os direitos da mulher com deficiência a suposta fragilidade dá lugar a…

Ler mais

Amor em cotas

O ano de 2015 foi atípico para muitas pessoas em vários aspectos.  Motivos não faltam para justificar essa onda negativa. A crise econômica gerada pelo aumento do dólar e a instabilidade política em nosso congresso contribuíram para uma sensação de desmotivação generalizada e a desesperança por dias melhores. Além disso, pessoalmente, posso dizer que não houve…

Ler mais

O que tem a oferecer

Inicialmente gostaria de agradecer a todas que compartilharam meu texto “Feminismo sobre rodas” nas redes sociais. Foram tantas mensagens carinhosas que turbinaram meus ânimos e ativaram a vontade de continuar a caminhada. Bom saber que não estou sozinha nesta bad trip. Mas como todos os dias é um 7×1 diferente, trouxe mais um ponto a ser…

Ler mais