Quando o silêncio grita

Vocês devem achar que estou preguiçosa ultimamente, né? Publicando textos de coleguinhas e deixando de produzir os meus. Mas garanto que esta pausa tem a melhor das intenções. Afinal, como deixar de publicar materiais ora elaborados especialmente para o blog ora tão sensíveis que fica impossível evitar a publicação? Por esse motivo, guardei minhas ideias…

Ler mais

Qual é a voz do seu corpo?

Se me perguntarem uma das palavras para representar a tendência visual da nossa época, sem dúvida responderia “corpo” ou “auto imagem”. Acredito que não houve em outro momento um sentimento de controle do corpo, ou body control, como a atual. Somos donos da nossa identidade e a usamos para nos reafirmar. A selfie na frente…

Ler mais

Nós também sangramos

Muito se fala sobre a sexualidade das pessoas com deficiência, sempre ressaltando as dificuldades em encontrar parceiros ou em alternativas para tornar o ato sexual mais viável e prazeroso. Nesse campo, para as mulheres com deficiência o assunto se restringe aos seus corpos e como lidar com a normatização social sem perder sua autoestima. Entretanto, sexualidade…

Ler mais

O que a Berenice não disse

Mês passado fui convidada a participar de um bate papo em uma agência de publicidade aqui em Belo Horizonte. A proposta era falar sobre a campanha da Vogue com a Cléo Pires e discutir a importância da representatividade nas propagandas. Expus a complexidade no processo de identidade das mulheres com deficiência em uma sociedade padronizada como a…

Ler mais

A Yura veio até mim após ver meu material com Disbuga. Lembro da nossa primeira conversa, ela ainda estava iniciando sua descoberta como mulher com deficiência e tinha muitas perguntas. Foi uma troca interessante que mais tarde resultou em um lindo desabrochar. Hoje aquela menina tímida, deu lugar a uma jovem super criativa e consciente…

Ler mais

Ela não anda, ela arrasa: Fernanda Härter

A palavra do “Ela não anda, ela arrasa” de hoje vai para uma mulher que admiro muito pela delicadeza de sua personalidade e firmeza em suas vontades. Fernanda é só simpatia, consegue conquistar todo mundo com o jeitinho dela, porém quando o assunto é feminismo e os direitos da mulher com deficiência a suposta fragilidade dá lugar a…

Ler mais

Amor em cotas

O ano de 2015 foi atípico para muitas pessoas em vários aspectos.  Motivos não faltam para justificar essa onda negativa. A crise econômica gerada pelo aumento do dólar e a instabilidade política em nosso congresso contribuíram para uma sensação de desmotivação generalizada e a desesperança por dias melhores. Além disso, pessoalmente, posso dizer que não houve…

Ler mais

O que tem a oferecer

Inicialmente gostaria de agradecer a todas que compartilharam meu texto “Feminismo sobre rodas” nas redes sociais. Foram tantas mensagens carinhosas que turbinaram meus ânimos e ativaram a vontade de continuar a caminhada. Bom saber que não estou sozinha nesta bad trip. Mas como todos os dias é um 7×1 diferente, trouxe mais um ponto a ser…

Ler mais

Feminismo sobre rodas

Antes de iniciar esse texto gostaria de deixar um recado para os deboístas: não continuem a leitura. Esse texto não tem nenhum propósito de ser leve, ao contrário será tal como a realidade é. Ácido, doloroso e duro. Engana-se quem pensar que estou sendo gratuitamente radical ou apresentarei algo que não corresponde a sua experiência de vida. Se este último…

Ler mais