Beleza onde?

Card com bordas brancas e um quadrado roxo no centro. No interior dele, na parte superior está uma aspas brancas com outra de bordas rosa sobrepondo. Abaixo o texto: "A rígida rejeição feminista dos desejos femininos por beleza enfraqueceu as políticas feministas. Ainda que essa estética seja mais incomum, é frequentemente apresentada pela mídia de massa como a maneira de pensar das feministas. Não seremos livres até que as feministas retornem à indústria da beleza, retornem à moda e criem uma revolução contínua e sustentável. Não saberemos como amar o corpo e a nós mesmas.” O feminismo é para todo mundo: Políticas arrebatadoras - bell hooks. Logo abaixo a assinatura @disbuga também na cor rosa. Fim da descrição.

"A rígida rejeição feminista dos desejos femininos por beleza enfraqueceu as políticas feministas. Ainda que essa estética seja mais incomum, é frequentemente apresentada pela mídia de massa como a maneira de pensar das feministas. Não seremos livres até que as feministas retornem à indústria da beleza, retornem à moda e criem uma revolução contínua e … Continuar lendo Beleza onde?

Luke, eu também tenho deficiência

Texto originalmente escrito para o Facebook em 2015 e revisado em 2020. Quando falamos sobre deficiência é comum discutirmos sobre a capacidade de fazer/ser dos sujeitos, autonomia, mobilidade e outros temas relacionados ao corpo. Atualmente, o capacitismo tem sido amplamente debatido nas redes sociais, meios de comunicação e salas de aula. Ao fazer este texto … Continuar lendo Luke, eu também tenho deficiência

A deficiência na figura mais linda do mundo

Imagem dividida ao meio na vertical. Ao lado esquerdo, em tons azuis, a foto de uma estátua feminina nua sem os braços. Ao lado direito, com o fundo rosa, o texto em azul: Ela não tem braços nem mãos, embora o toco da parte superior do braço direito se estenda até o peito. Seu braço … Continuar lendo A deficiência na figura mais linda do mundo

O que aprendemos com o episódio da Havan?

Se há uns quatro anos dissessem que receberia em meu whatsapp um vídeo de um empresário reclamando da obrigatoriedade de acessibilidade em sua loja, provavelmente minha primeira reação seria rir e desacreditar em tamanha audácia. Ninguém seria tão cara de pau assim. Os anos passaram, as coisas mudaram e hoje vemos que isso não só … Continuar lendo O que aprendemos com o episódio da Havan?

Mulheres clandestinas

A noite estava uma delícia. Um encontro de amigas virtuais regadas a muita piada, curiosidade e histórias inusitadas. Entre um caso e outro, reflexões sobre nossas experiências como mulher com deficiência, apesar de uma de nós não ter esse "local de fala". Estava ali de olhos e ouvidos atentos como uma boa amiga feminista costuma … Continuar lendo Mulheres clandestinas

Um jogo para quem tem polio

Você não está enganada (o), existe um jogo que foi criado para crianças com poliomielite, mas que fez um sucesso danado na época chamado Candy Land. Não pretendo fazer uma resenha sobre ele, apesar de ficar curiosa para conhecê-lo depois que descobri sua história de origem, e creio que se você não o conhece também … Continuar lendo Um jogo para quem tem polio

Cinema feito por pessoas com deficiência: por que tão incomum?

Imagem de destaque

Por Victor Di Marco Pare e pense por um instante. Qual foi a última vez que você viu uma pessoa com deficiência ocupando algum espaço? Você olhou para essa pessoa? Encarou-a? Sentiu pena? O que veio a sua cabeça? Era uma pessoa de cadeira de rodas? Alguém com dificuldades motoras? Você já interagiu com alguma … Continuar lendo Cinema feito por pessoas com deficiência: por que tão incomum?

Das engrenagens…

Por Manoella Back Estava eu, serelepe, apressada e atrasadinha para ir ao trabalho. Alííívio! Assim que cheguei ao ponto, subi no ônibus. O bom dia para o motorista e cobradora não diminui o teor dos olhares que recebemos quando passamos pela catraca com cartão ou “passe” de gratuidade. Ora, é de manhã e todo mundo … Continuar lendo Das engrenagens…

Qual é a medida da deficiência?

O texto de hoje é de autoria desta mocinha risonha chamada Manoella Back. Jornalista de esquerda e com deficiência me chamou na página do Disbuga pedindo um espaço para divulgar seus pensamentos, como negar? Ao ler o texto e pensando neste contato só pude sentir gratidão em ver como as pessoas tem abraçado o espaço … Continuar lendo Qual é a medida da deficiência?