Luke, eu também tenho deficiência

Texto originalmente escrito para o Facebook em 2015 e revisado em 2020.

Quando falamos sobre deficiência é comum discutirmos sobre a capacidade de fazer/ser dos sujeitos, autonomia, mobilidade e outros temas relacionados ao corpo. Atualmente, o capacitismo tem sido amplamente debatido nas redes sociais, meios de comunicação e salas de aula. Ao fazer este texto em 2015 não tinha as leituras que o mestrado me trouxe, nem a responsabilidade que o tempo me entregou, porém a paixão pelo universo Star Wars só aumentou. Por isso, resolvi fazer algumas edições, mas mantive a centralidade do assunto na época: o que nos torna ou não capazes? Para exemplificar usarei um dos meus vilões favoritos, Darth Vader. Espero que gostem. 

A história se passa em uma galáxia muito, muito distante. Todos os planetas são povoados, organizados em uma República defendida por uma ordem de cavaleiros chamada Jedi. São um grupo de pessoas com capacidade de manipular a Força, um tipo de energia que envolve a existência de todos os seres vivos na Galáxia. Cada Jedi responde ao Conselho que é formados pelos mestres da ordem, aqueles cujo poder e aprendizado já são mais fortes e capazes de manter o equilíbrio.

Os Jedis são considerados os mocinhos da história, usam a Força para praticar o bem. Apesar de terem uma espada de íons (ou coisa parecida), chamada sabre de luz, só a utilizam para defesa. O poder da Força é intenso demais, demandando muito treino dos cavaleiros, porém nem todos a utilizam para ajudar os outros. Há aqueles cujo desejo de dominar é muito maior, são os chamados Sith. Esses se alimentam dos sentimentos ruins como medo, raiva, angústia, ciúmes, inveja, vingança. Muita vingança.

Enfim, chegamos ao principal: Darth Vader.

Anakin Skywalker é considerado O Escolhido que vai trazer equilíbrio a toda galáxia, porém sua história foi marcada pela dor da escravidão, da morte de sua mãe e pelo medo de perder o grande amor de sua vida. Apesar de receber treinamento Jedi, sempre se via confuso em seus sentimentos e, apesar dos ensinamentos de Obi-Wan Kenobi, mestre e amigo, acabou sendo absorvido pelo lado sombrio da Força.

Travou uma batalha intensa com Obi-Wan onde por um golpe ligeiro se viu no chão sem um braço e pernas. Presos em um planeta consumido pela lava, o mestre viu Anakin sendo consumido pelo fogo antes de partir. Contudo, foi salvo pelo novo mentor, Lorde Sith que o submeteu a longas e dolorosas cirurgias que transformaram seu corpo em um híbrido de máquina-organismo. Assim, Vader sobrevive respirando através de uma máscara que o acompanha por toda vida, em sua jornada pela galáxia ao lado do imperador Sith. 

A respiração com a máscara se transforma na característica principal do personagem, aquilo que te traz potência, mistério. Ninguém leva em consideração que Lord Vader é alguém com deficiência quando está em combate. No universo Star Wars, durante o período da República, as diferenças são incorporadas, o ambiente se adapta, as tecnologias trazem soluções e a sociedade acolhe. Esse é um dos elementos que mais me encanta na saga, para falar a verdade.

De fato, na ficção científica é possível encontrar muitos exemplos interessantes sobre possibilidades para corpos com deficiência. Aqui tive a intenção de falar um pouco destas outras formas de representação, além de dizer o quanto Star War é incrível.

Sim, sou fã. Que a Força esteja com você.

Gostou do texto? Deixe seu comentário, adoraria saber sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s