Um olhar sobre a deficiência

Imagem com fundo avermelhado com uma ilustração de uma pessoa andando de bengala em frente a um painel com várias ilustrações de pessoas com deficiência. No meio a frase em branco "Um olhar sobre a deficiência" e no rodapé, também em branco, o logo do blog.

Por Amanda Gondim

Oi pra você que está lendo esse texto com seus olhos, espero que seja interessante porque confesso que por conta da minha baixa visão eu levei um tempo maior do que geralmente levaria.

Foto de Amanda estilo selfie. Ela tem cabelos castanhos um pouco ondulados, está com um sorriso delicado. Está usando uma blusa preta e o fundo da imagem sugere que ela está sentada em um banco acolchoado cinza.
#pratodosverem Foto de Amanda estilo selfie. Ela tem cabelos castanhos um pouco ondulados, está com um sorriso delicado. Está usando uma blusa preta e o fundo da imagem sugere que ela está sentada em um banco acolchoado cinza. Fim da descrição.

Bom, eu sou Amanda, mas pessoas me conhecem mais como Gondim. Sou advogada em Direito de mulheres, lgbtqs, a minha causa são os direitos humanos, uma forma de ressignificar o direito na minha vida e viver com um propósito, porém mais recentemente as pessoas com deficiência passaram a estar inseridas na minha percepção de mundo e ser humano.

Pra que isso ocorresse precisei ir além do convívio com essas pessoas durante a vida toda. Precisei viver essa realidade, esse mundo diverso do que fui condicionada a tentar me encaixar nas ilusórias construções sociais de padrões inalcançáveis.

A minha diabetes tipo 1, que caminha comigo desde a infância ativou em mim uma retinopatia diabética proliferativa e então vivo esse processo de perda gradativa da visão desde o ano de 2015 e de lá pra cá me vejo em um mundo diferente e que talvez, se eu não vivenciasse, não reconheceria sua existência. A baixa visão me trouxe uma nova perspectiva sobre a sociedade e como não somos educados para conviver e reconhecer as particularidades dos indivíduos.

Mesmo sendo mulher, advogada em direito de mulheres, lgbts, e ser portadora de diabetes tipo 1, já vivi em meu cotidiano e enfrentei na área profissional e pessoal, situações desumanas e desesperadoras, mas me deparo com esse novo mundo de pessoas que sempre estiveram aí e são invisíveis à sociedade e condicionadas em um capacitismo horrível que remove delas suas particularidades, potencialidades e vontades tornando algumas tentativas de inclusão, uma verdadeira hipocrisia que só nos mostra que a perda dessa habilidade sensorial não é uma tragédia particular e sim social.

Partindo disso, quero mostrar a realidade e o processo de uma pessoa comum em seus enfrentamentos com a baixa visão, e no meu caso, a questão do direito e dos grupos vulneráveis e trazer a informação e desconstrução dos preconceitos sobre as pessoas com baixa visão e as diferentes perspectivas que enriquecem a experiência humana.

Quero deixar uma mensagem positiva à todxs que assim como eu vivenciam situações e experiências sob um olhar ressignificativo. E que ressignificar nossa vida é uma oportunidade incrível. Além de promover a desconstrução desse papel de vítima ou de super-herói que em alguns momentos acabam sendo colocados nas pessoas com deficiência.

Desejo mostrar a realidade desse processo e dar uma voz às pessoas que possuem deficiência. A sociedade ainda esconde a pessoa com deficiência sob pretensões deturpadas de inclusão e os caminhos para que consigamos o respeito e o reconhecimento como pessoas de direitos são a educação, a informação, a inserção nos espaços e a representatividade.

Ilustração: Dadu Shin | Foto: Arquivo pessoal


Amanda é advogada, feminista, ativista em direitos das mulheres, ascendente em áries e umbadista. Arquétipo de Xangô, acredita que o amor é a maior forca que existe e luta pela justiça. Tem diabetes do tipo 1, é deficiente visual e mãe de um gato chamado Ice.

Anúncios

2 comentários sobre “Um olhar sobre a deficiência

  1. Quero dizer que os olhos e o sorriso, de alguma forma me faz uma sensação de força e que, apesar das dificuldades, nada a fará desistir de lutar pelo que acredita e pelo que tem direito…gratidão!!!

    Curtir

Gostou do texto? Deixe seu comentário, adoraria saber sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s